LET´S DISCUSS OUR RELATIONSHIP!

junho 20, 2018Corporate Responsibility, Positioning
Yes, let’s discuss our relationship! Calm down! No need to run away in panic! This discussion is extremelly relevant for your professional life, for your company, for your small business or organization, or even if you work for a corporation or multinational. We are talking about Relationship Development!
Today we are going to talk about
1. what is the relationship,
2. why it matters
3. how you can list and prioritize the focus of your relationships thinking about your personal life and your business
After all, everyone, every business, every company, every organization needs to relate! we have to relate to the family, to the boss, to co-workers, to other people who work in our areas. business and business have to relate to customers, suppliers, business partners … relationship is something that is part of our lives!
The problem is that you can not relate to everyone at the same time and now! and this is not bad will! can be lack of time, money, resources and resources, energy … Today you will discover how to make this DR better and save time, energy and money! besides having better results for your life and for your business or company!

RELATIONSHIP DEFINITION

Relationship in the dictionary is defined as the ability to maintain relationships, to live well with others. There is also reference about interpersonal relationship that refers to the interaction between people, groups in the professional, personal or family environment. Each social environment such as school, community, family nucleus and work environment, presents its rules of behavior that guide the interaction of its members.
However, each member brings with him his/her personality, beliefs and cultures and in the same way that he/she is influenced by the ones he/she connect with, he/she also influences those with whom he/she establishes a relationship. Therefore, individual and collective human behavior has a large impact on the development and results of the environment and those who live in it. It is responsible for amplifying the constructive and destructive effects  in an environment, which experts call “self-reinforcing feedback.”
Take a moment to think about how you relate  with your family? Is it the same way you relate to colleagues at the university or at work? And with friends, what are the differences? And it is good to remember that nowadays we have several areas or spheres of relationship: personal, professional, virtual. In all these cases, we know that we need to have skills, patience, change the way we talk, the way we behave, and finally adapt and adjust our behavior to each of these groups.

WHY IS RELATIONSHIP IMPORTANT?

But after all, why is relationship important to our lives?
In the PERSONAL field, building and maintaining relationships is important because we maintain good harmony and coexistence with our family, relatives and friends. recent medical studies even point out that maintaining good relationships, friendship and social coexistence are fundamental to our health and to longevity. that is: to relate does well to the skin, to the body, to the soul and to our good astral.
Already in the PROFESSIONAL or BUSINESS field, maintaining and having good relationships will help keep your partners and employees, help in the climate of business, company or any other workplace. It also helps increase productivity, helps business profitability, reduces employee outflow, attracts better professionals.
An English anthropologist named Robin Dunbar, a professor at the University of Oxford, one of the foremost scholars of evolutionary psychology, says that the number of relationships and friends a person has throughout life has remained stable since the earliest days of mankind and has not changed with the popularization of digital social networks. According to this study, the human being has the capacity to maintain a network of friendship composed by, on average, 150 people
Considering this network of 150 people we have built throughout our lives, 50 are considered good friends. Out of these good friends, only 15 can be called best friends. And among them, only 05 belong to the category of close friends, those you seek when you are in trouble, ask for advice, seek solace and even accept money. And why this happens? Because we are “selective” and we ask ourselves: what role do these people play in our lives? How much time should we invest in the relationship with them?
If in personal relationships this is important, the same thing happens with professional relationships: that is, we need to be clear about who is the most important, who is most relevant to our business, our company and how much time we will invest to build and maintain these relationships. links and, of course, also think how we will do this in an efficient way.

 

HOW TO DO THIS CHOICE AND PRIORITIZATION ON OUR NETWORKS OF RELATIONSHIP?

According to Robin Dunbar, the frequency of contact is undoubtedly what matters most in building a friendship. The intensity of the relationship depends very much on how much you see the person and the time you spend on it. As my mother would say, “anyone not seen is not remembered.” Just like that! But important to clarify that by “seeing” I mean to actually find, personally, live and in 3D – if it is not possible to at least interact and exchange ideas, to chat with another person by phone, skype, facetime and like.
And as social networks give us information about how our friends are spread throughout the city, the State, Brazil and the world, we have the feeling that we are “meeting” them and maintaining contact, building and nurturing these relationships. But that is not true. Building the relationship presupposes contact, exchange, and not just knowledge and information about what is going on in that person’s life and what they are doing out there. Therefore, if your business is to work in the virtual world, it is necessary that even in this world of the 21st century these processes and movements happen.
People and companies do not have the time, energy, money, material or human resources to talk to everyone, so we need to make choices. These choices have personal factors or criteria (empathy, trust, duration of relationship, etc.) but also in the PROFESSIONAL and BUSINESS field, it is necessary to define criteria that help us to focus and prioritize those that are most important to our professional life or for your business: after all the person or company is important because? Why are you a frequent customer type or why do you buy a lot more? Why is a supplier of whom your business depends on to continue to function well and delivered your products or services? Or because it meets the planned contracts and deliveries? Are employees relevant because they are knowledgeable and efficient, or wear the company shirt?
To help you start building your Development Relationship (DR) plan, today let’s take three basic, important steps to get your hands on the ground. Take a piece of paper, the notebook, the tablet and note there with calm and affection:
  1. MAKE A LIST OF ALL GROUPS OR TYPES of people, organizations with whom you relate, thinking about your business, your business or your professional life: clients, suppliers, partners, employees, accountant, banks, landlord, HR, college colleagues, etc.
  2. SPECIFY WHO IS PART OF EVERY GROUP OR TYPE: For each of these types or groups you are now going to list who is part of it. That is, if you defined as an important group the clients, what specific subgroups does this group have? Men, women, young people, age group? And in the group of suppliers, who are they? Company X, business Y, Mr. Manuel da Silva? And for your collaborators?
  3. DEFINE PRIORITY CRITERIA: You will now list all the criteria that will be the parameters, the references to help define the level of relevance and priority of each group / type and their subgroups. Defined criteria should assign to each staff, business, company, organization a score being 1 – low, 2 – medium and 3 high. In the end add the values ​​of each actor listed and the result will point the priorities, that is, those with higher score or value.
Follow these steps involving several people who work with you in your business or company or who are part of your circle of friends, colleagues or even family members. Remember: several heads think better than one, and different views are pretty much complete.
At the end of the process you will have a general map of people in your business and company well complete and detailed, will have a clear vision of why and depending on what reasons or reasons they are relevant and important and finally will have a list of people, companies, organizations, most important partners to focus their energy, human, material and financial resources.
Good DR – Develop Relationship process to all!

VAI ROLAR AQUELA D.R.!

junho 20, 2018Posicionamento, Responsabilidade Corporativa
Sim, vamos falar sobre uma DR, mas calma aí! não precisa sair correndo do blog em pânico! Essa DR é superimportante para sua vida profissional, para seu negócio, para sua pequena empresa ou organização ou até mesmo se você trabalhar numa grande empresa. Estamos falando do Desenvolvimento de Relacionamento!
Hoje nós vamos falar sobre
1. o que é o relacionamento,
2. porque ele é importante
3. como você pode listar e priorizar o foco de seus relacionamentos pensando na sua vida pessoal e no seu negócio
Afinal, todo mundo, todo negócio, toda empresa, toda organização precisa se relacionar! a gente tem que se relacionar com a família, com o chefe, com os colegas de trabalho, com outras pessoas que trabalham nas nossas áreas. os negócios e as empresas têm que se relacionar com clientes, fornecedores, parceiros de negócios…relacionamento é algo que faz parte das nossas vidas!
O problema é que não dá para gente se relacionar com todo mundo, ao mesmo tempo e agora! e isso não é má vontade! pode ser falta de tempo, de grana, de meios e recursos, de energia…Hoje você vai descobrir como fazer melhor essa DR e economizar tempo, energia e dinheiro! além de ter resultados melhores pra sua vida e pro seu negócio ou empresa!

O QUE É O RELACIONAMENTO

O relacionamento no dicionário é definido como capacidade de manter relacionamentos, de conviver bem com seus semelhantes. Fala-se também do relacionamento interpessoal que se refere à interação entre pessoas, grupos no meio profissional, pessoal ou familiar. cada meio social como escola, comunidade, núcleo familiar e ambiente de trabalho, apresenta suas regras de comportamento que orientam a interação de seus membros.
No entanto, cada membro traz consigo sua personalidade, crenças e culturas e da mesma forma que ele é influenciado pelo meio, ele também influencia aqueles com quem convive. por isso, o comportamento humano individual e coletivo exerce grande impacto generalizado no desenvolvimento e resultados do meio e os que convivem nele. ele é responsável por ampliar os efeitos construtivos e destrutivos do meio, o que especialistas chamam de “realimentação de auto reforço”.
Pensa um pouco como você se relaciona na sua casa, com sua família? Será que é o mesmo jeito que você se relaciona com os colegas na universidade ou no trabalho? E com os amigos, quais são as diferenças? E é bom lembrar que hoje em dia temos vários âmbitos ou esferas de relacionamento: pessoal, profissional, virtual. Em todos esses casos a gente sabe que precisa ter habilidades, paciência, mudar o jeito de falar, o jeito de se comportar, enfim, se adaptar e ajustar o comportamento pra cada um desses grupos.

PORQUE O RELACIONAMENTO É IMPORTANTE?

Mas afinal de contas, porque o relacionamento é importante para nossa vida?
No campo PESSOAL, construir e manter o relacionamento é importante porque assim mantemos a boa harmonia e convivência com nossa família, parentes e amigos. os estudos médicos recentes apontam inclusive que manter bom laços de relacionamento, amizade e convivência social são fundamentais para nossa saúde e para a longevidade. ou seja: relacionar faz bem pra pele, pro corpo, para alma e para nosso bom astral.
Já no campo PROFISSIONAL ou dos NEGÓCIOS, manter e ter bons relacionamentos vai ajudar a manter os seus parceiros e colaboradores, ajudar no clima do negócio, empresa ou qualquer outro local de trabalho. Também ajuda a aumentar a produtividade, ajuda na lucratividade do negócio, reduz a saída de empregados, atrai melhores profissionais.
Um antropólogo inglês chamado Robin Dunbar, professor da universidade de Oxford, – um dos mais importantes estudiosos da psicologia evolutiva – afirma que o número de relacionamentos e amigos que uma pessoa tem ao longo da vida se mantém estável desde os primórdios da humanidade e não mudou com a popularização das redes sociais digitais. Segundo este estudo, o ser humano tem capacidade de manter uma rede de amizade composta por, em média, 150 pessoas 
Dessa rede de 150 pessoas que construímos ao longo de toda a nossa vida, 50 são considerados bons amigos. Desses bons amigos, apenas 15 podem ser chamados de melhores amigos. E entre eles, somente 05 pertencem à categoria dos amigos íntimos, aqueles que você procura quando está com problemas, pede conselhos, busca consolo e até mesmo aceita dinheiro. E porque isso acontece? Porque somos “seletivos” e nos perguntamos: qual é o papel que essas pessoas têm em nossa vida? Quanto tempo nós devemos investir na relação com elas?
Se nos relacionamentos pessoais isso é importante o mesmo acontece com os relacionamentos profissionais: ou seja, precisamos ter clareza de quem é o mais importante, de quem é mais relevante pra nosso negócio, para nossa empresa e quanto tempo vamos investir para construir e manter esses vínculos e, claro, também pensar como vamos fazer isso de uma forma eficiente.

 

COMO FAZER ESSA ESCOLHA E PRIORIZAÇÃO NAS NOSSAS REDES DE RELACIONAMENTO?

Ainda segundo Robin Dunbar, a frequência do contato é sem dúvida o que mais importa na construção de uma amizade. A intensidade da relação depende muito do quanto você vê a pessoa e do tempo que você gasta com ela. Como diria minha mãe “quem não é visto não é lembrado”.Simples assim! Mas importante esclarecer que por “ver” estou querendo dizer encontrar de verdade, pessoalmente, ao vivo e em 3D – se não for possível pelo menos interagir e trocar ideias, bater um papo com que está em outro lugar por telefone, skype, facetime e afins.
E como as redes sociais nos dão informação sobre como estão nossos amigos espalhados pela cidade, pelo Estado, pelo Brasil e pelo mundo temos a sensação de que estamos “encontrando” com eles e mantendo contato, construindo e alimentando essas relações. Mas isso não é verdade. A construção do relacionamento pressupõe contato, troca e não apenas o conhecimento e a informação sobre o que está acontecendo na vida daquela pessoa e do que ela anda fazendo por aí. Portanto, se o seu negócio é trabalhar no mundo virtual é preciso que, mesmo nesse mundo do século XXI que aconteçam esses processos e movimentos.
As pessoas e as empresas não têm tempo, energia, dinheiro, recursos materiais ou humanos para falar com todo mundo, portanto precisamos fazer escolhas. Essas escolhas têm fatores ou critérios pessoais (empatia, confiança, duração do relacionamento, etc.) mas também no campo PROFISSIONAL e de NEGÓCIOS, é preciso definir critérios que ajudem a termos um foco e priorizar aqueles que são mais importantes para a sua vida profissional ou para o seu negócio: afinal a pessoa ou empresa é importante porque? Porque é um tipo de cliente frequente ou porque compra muito mais? Porque é um fornecedor de quem o seu negócio depende para continuar funcionando bem e entregado seus produtos ou serviços? Ou porque cumpre os contratos e entregas planejadas? Os colaboradores são relevantes por serem eficiente e com muito conhecimento ou porque vestem a camisa da empresa?
Para ajudar você a iniciar a construção do seu plano de DR, hoje vamos passar três passos básicos e importantes para já colocar a mão na massa. Peguem um papel, o notebook, o tablet e anotam ai com calma e carinho:
  1. LISTE TODOS OS GRUPOS OU TIPOS de pessoas, organizações com quem você se relaciona pensando na sua empresa, seu negócio ou sua vida profissional: clientes, fornecedores, sócios, colaboradores, contador, bancos, locador do imóvel, RH, associação profissional, colegas de faculdade, etc.
  2. ESPECIFIQUE QUEM FAZ PARTE DE CADA GRUPO OU TIPO: para cada um desses tipos ou grupos agora você vai listar quem faz parte dele, dar um zoom mesmo. Ou seja, se definiu como um grupo importante os clientes, que subgrupos específicos esse grupo tem? Homens, mulheres, jovens, faixa etária? E no grupo dos fornecedores, quem são eles? A empresa X, o negócio Y, o Sr. Manuel da Silva? E para os seus colaboradores?
  3. DEFINA OS CRITÉRIOS DE PRIORIZAÇÃO: agora você vai listar todos os critérios que serão os parâmetros, as referências para ajudar a definir o nível de relevância e prioridade de cada grupo/tipo e respectivos subgrupos. Definidos os critérios deve atribuir para cada pessoal, negócio, empresa, organização uma pontuação sendo 1 – baixa, 2 – média e 3 alta. Ao final some os valores de cada ator listado e o resultado vai apontar os prioritários, ou seja, aqueles com maior pontuação ou valor.
Sigam esses passos envolvendo várias pessoas que trabalham com você no seu negócio ou empresa ou que fazem parte do seu círculo de amigos, colegas ou mesmo familiares. Lembre-se: várias cabeças pensam melhor do que uma e diferentes visões são bem findas.
Ao final do processo você vai ter um mapa geral de pessoas do seu negócio e empresa bem completo e detalhado, vai ter uma visão clara do porquê e em função de que motivos ou razões elas são relevantes e importantes e, finalmente, terá uma lista de pessoas, empresas, organizações, parceiros mais importantes para focar sua energia, seus recursos humanos, materiais e financeiros.
Boa DR a todos!

© 2019 IDEIA DE IMPACTO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

adonisgalvao