VOCÊ VAI LER SOBRE (8 min leitura)

  • Porque as mudanças geram frustração, ansiedade nas pessoas/profissionais. Como empresas, negócios e organizações podem se preparar pra isso
  • 6 habilidades necessárias hoje para o futuro da nossa vida pessoal e profissional

No texto anterior (CLIQUE) comentei que há uma constatação de que o mundo atual em que vivemos é complexo, que está completamente interligado e inter-relacionado e conectado. Como um novelo de lã depois que seu cachorro ou gato resolveu brincar ou jogar ele pela casa…Um nó só, uma cama de gato.  Também levantei a questão de que temos uma situação de “promessas não cumpridas”, ou seja, que o mundo que nos foi prometido – ao menos para minha geração e anteriores – onde todos estudávamos, consequentemente conseguíamos emprego e teríamos um trabalho tranquilo e garantido para poder no futuro desfrutar da aposentadoria feliz não existe mais. Esse texto é falso e não se aplica ao mundo atual. Isso têm gerado muita frustração e ansiedade nas pessoas por aí.

Também recordamos que somos um povo muito criativo e inventivo! Isso é uma das características do brasileiro – ainda que não seja exclusiva desse país dos trópicos, claro – e que esta não é a primeira crise ou mudança que estamos passando: já vivemos 6 planos econômicos diferentes e mudamos 7 vezes de moedas, tivemos altos e baixos ao longo das últimas décadas e estamos todos muito bem obrigado, sobrevivemos e continuamos a viver! Viver situações de mudança é algo simples, mas não é fácil: requer coragem que é a capacidade de enfrentarmos o medo, de lidarmos com a situação.

Agora vamos falar de outras três habilidades do futuro – que se somam as outras 3 que apresentei no texto anterior:

  1. INTELIGÊNCIA INTERARTIFICIAL – como você se relaciona com a tecnologia? Como você lida com ela? Você manda no WhatsUp ou ele manda em você? Se cair a energia da sua casa e você ficar sem conexão, o que acontece? Precisamos refletir e entender as potencialidades da tecnologia para considerar de que forma podem ser usadas no seu dia a dia, no seu negócio, nos seus projetos…

Mas, isso quer dizer que a gente vai ter que falar com robô? Vai ter que fazer curso de programação ou de robótica? Não! Primeiro que a gente já fala com um robô em muito celular e aplicativos que estão por ai e ninguém ficou traumatizado…mas é mais do que isso!

Quer ver um exemplo: o blockchain é um sistema de informação e dados que foi criado para monitorar e garantir a segurança das transações das cripomoedas, as moedas virtuais que surgiram pelo mundo a fora. Pois essa mesma tecnologia está sendo usada em campos de refugiados permitindo que façam compras sem usar dinheiro ou cartão de crédito, para apoiar a busca de vagas de empregos, pra criar uma identidade digital inclusive com escaneamento de córnea porque muitos refugiados perdem todos os seus papeis e documentos na saída de seus países.

  1. INTELIGÊNCIA APRENDEDORA OU EDUCADORA – esse foi um termo criado pelo Murilo Gun que a descreve como nossa capacidade de recuperar a habilidade de ser autodidata, de aprender por conta própria. Um exemplo concreto dessa habilidade? Quem tem filho pequeno, quem observa criança vê isso ao vivo em cores! Todos os dias! Já viram a sede de aprendizado que elas têm? São uma esponja de informação e de conhecimento. E com o tempo a gente vai perdendo isso. Nossas escolas foram formatadas para ensinar a gente na base da informação passada, da correção, do gabarito, da resposta certa (ainda que algumas exceções ainda procuram ensinar neguinho a pensar).

Vocês conseguem imaginam o que é educar as pessoas para um mundo que a gente nem sabe qual vai ser? Meu sobrinho de 5 anos vai ter 30 anos em 2048! Alguém consegue imaginar como vai ser o mundo nesse tempo, como ele vai estudar, como vai se divertir, como vai aprender, como vai se relacionar com as pessoas?! Do jeito que as coisas estão mudando rápido! Saber é uma condição estática e aprender é estar em movimento. Portanto é um lance que continua pra vida toda!

E finalmente a sexta habilidade que eu acrescento a lista por conta de uma experiência que tive com um cara quando passei uma temporada de 3 meses nos Emirados Árabes Unidos, vivendo em Dubai. Essa pessoa incrível, um homem inteligente, corajoso, extremamente amável e carinhoso chama-se Taric Querechi, um indiano que mora nos Emirados e que foi e é um executivo de sucesso, super bem relacionado e com conexões no mundo todo. Um dia almoçando juntos Tariq vira pra mim e diz: I love MAD people! – em inglês MAD significa maluco, pinel. Meu primeiro pensamento foi: “Sim, pessoas malucas pensam diferente, veem o mundo diferente, então isso pode ser interessante. Mas para o Tariq MAD tinha outro significado:

  1. HABILIDADE MAD – “M.A.D” na verdade é uma sigla que em inglês significa Make A Difference, ou seja, “faça a diferença! Para ele essa palavra significa ter paixão, ter foco, ser tenaz, ter o desejo de fazer e realizar coisas! Pessoas que tem e desenvolvem a habilidade MAD são excêntricas: aquelas pessoas que estão “fora do centro”, são as pessoas que mudaram o mundo, mudaram a vida do seu bairro, da sua comunidade, de um grupo de pessoas.

Assim, meu caro leitor, sugiro que se prepare e desenvolva suas habilidades a partir de hoje, de agora porque o futuro vai demandar isso de você e também porque fazendo isso tenho certeza que você tem muito a ganhar – ou melhor, recuperar e relembrar.

Não esqueça de se inscrever no canal da Ideia de Impacto no YouTube para acompanhar o Programa Ideia de Impacto na Rádio Geek onde falo sobre esses temas e converso com muita gente MAD!